Dragões da Casa Verde

Escudo do Dragões da Casa Verde

Escudo do Dragões da Casa Verde

G.R.E DRAGÕES DA CASA VERDE

Fundação: 6 de dezembro de 1972
Uniforme: Cores vermelho e preto.

História

Fundado através do futebol de salão em 1970, onde mandava seus jogos, na Quadra da A.A. Amigos Jardim São Bento, Zona Norte de São Paulo (dando continuidade ao Grêmio Walsiwa que encerrava suas atividades) um grupo de amigos fundou uma equipe ainda sem nome, apenas para diversão própria, sem fins lucrativos.

Aos poucos grupo se fortaleceu e disputou um memorável campeonato chegando ao Vice Campeonato (perdendo a final na disputa de penalidades máximas) levando um número muito grande de torcedores em seus jogos. Em 6 de dezembro de 1972 a equipe saiu do salão para o futebol de Campo e, a partir de então, encamparia as tradicionais festividades de confraternização de fim de ano, entre Pretos e Brancos já existente no bairro, que iniciou no ano de 1971 (por existir antes desta agremiação) e sendo uma sequência das dissidências do Grêmio Alvi-Verde – Incapre – Serraria Aurora.

Grandes foram os acontecimentos no decorrer dos tempos. As perdas de amigos, as derrotas e as vitórias, porém sempre superadas ou comemoradas com galhardia pelas pessoas que por pelo time passaram e por muitos que ainda permanecem, e os que virão para dar continuidade a esta lenda, que está se tornando este time. (Time sim pois o intuito é sermos sempre o time da esquina da rua Valdemar Martins no bairro Pq. Peruche, São Paulo SP, porém curtido e lembrado com muito amor por quem joga ou quem acompanha).

O GRE Dragões da Casa Verde tornou-se uma das equipes mais consideradas e respeitadas de nossa várzea.

Time do Dragões da Casa Verde fez sucesso nas décadas de 1970 e 1980. (foto: Reprodução / Facebook)

Time do Dragões da Casa Verde fez sucesso nas décadas de 1970 e 1980. (foto: Reprodução / Facebook)

Forte visitante

Sempre jogando em redutos adversários manteve grandes equipes, nunca deixou de honrar seus compromissos, ausentando-se de jogos ou eventos. Vem lutando atualmente para amenizar a carência do bairro, promovendo eventos futebolísticos e sociais com fins beneficentes para arrecadação de alimentos/agasalhos que são entregues às:
Paróquia de São Francisco de Paula/São Benedito sito à Rua: Waldemar Martins;
Casa da Juventude Santa Olímpia sito à Rua: Antônio Cavazzan;
Casa de Amparo Pequeno São João Batista sito à Rua: Dr. Ignácio Proença de Gouveia;
Associação Aliança Para Vida ALIVI sito à Estrada Sta. Ines Km 4,5 – Horto Florestal;
Casa de Abrigo Estrelas do Amanhã sito à Rua: Orense 93 – IMIRIM;
Casa Jesus Amor e Caridade sito à Rua: José Frutuoso Dias ,138 – C.Verde;
Grupo Aliança de Misericordia (padre Antonello- Rua Avanhandava);
Centro de Solidariedade Tia Lili – Rua Niteroi, 55 S.Caetano do Sul -Matriz Sagrada Familia – Praça Arco Verde – S/N;

e para distribuição entre as pessoas necessitadas de nosso bairro; continuando assim sendo agremiação sem fins lucrativos, onde a cada dia surgem exemplos novos de amizades, dedicação e companheirismo entre os frequentadores do nosso ambiente, motivo este que nos leva a não citarmos nomes, pois seriam tantos, que poderíamos cometer fortes injustiças.*

Por Cleber Cunha, jornalista

Origem do nome

De acordo com entrevista ao VárzeaPédia, o atual presidente do Dragões, Geraldo Piccirilo, contou que a origem do nome da equipe teve uma história curiosa. “Durante a escolha, foram vários os nomes. Até que um de nossos colegas, já um pouco bêbado, teve um mal súbito e começou a ‘viajar’ nas ideias. Sem controle, começou a gritar ‘Estou vendo dragões! Estou vendo dragões’. Não deu outra. Estava escolhido o nome”, contou Geraldo.

Deixe seu comentário
LEIA TAMBÉM